sábado, 31 de janeiro de 2009

E tenho dito.

"Se a gente não tomar cuidado,
teremos 16 seleções só de brasileiros
disputando a próxima Copa.

Isso é um perigo.
Um perigo bem real."
[Seep Blatter - presidente da FIFA]


focusmode

Natureza em seu esplendor

As cores na imagem da rara nebulosa

NGC 2818

representam nitrogênio,

hidrogênio

e oxigênio


A nebulosa é uma formação gerada pelos resquícios da morte de uma estrela, como gases e plasma.
Terra

Temos que reconhecer!

A coragem e a bravura

do soldado americano!

O Iraque é fichinha!


colaboração de Maialli.com

Animais com face humana




percevejo

carpa de couro

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Ela no sax.

amante das imagens

A crise, o vinho e o helicóptero

charge de cesar marchesini,
direto do solda
Por Clóvis Rossi, para a Folha de SP

A crise, o vinho, o helicóptero
Diz pesquisa divulgada ontem pela consultoria Price Waterhouse Coopers que o empresariado ligou o "modo de sobrevivência", que é tudo o que lhes permitiria a crise.
Detalhes do "modo de sobrevivência" do "povo de Davos":
a agência Bloomberg conta que o gerente do Hotel Belvédère, o único cinco estrelas de Davos (e cada uma delas vale por cinco), encomendou para a temporada um lote de vinho Chateau Petrus premier cru, safra 1971. Cada garrafa custa US$ 1.700, ou um tiquinho menos de R$ 4 mil. Com esse dinheiro daria para sustentar por um mês dez trabalhadores de salário mínimo (brasileiro). Reduziria um tico a sangria de 76 mil demitidos só anteontem.
Já o gerente da BB Heli, que faz o serviço de helicópteros entre Zurique e Davos, conta que o "modo de sobrevivência" não impede que continuem a ser feitas reservas em penca para que a turma possa percorrer rapidamente a colossal distância de 147 quilômetros entre Zurique e Davos.
O custo, nesse caso, é bem maior do que o Chateau Petrus: no helicóptero mais potente e, portanto, mais caro, o serviço sai pelo equivalente a R$ 19.869.
Para uma comparação que o "povo de Davos" entende: é rigorosamente o mesmo custo de uma passagem da Swiss entre São Paulo e Zurique (primeira classe, claro, que a "sobrevivência" tem que ter um mínimo de dignidade).
Para uma comparação que eu e você (se não for do tipo Davos) entendemos: a passagem de trem de Zurique a Davos saiu pelo equivalente a R$ 173 (de primeira classe, que eu também mereço uma sobrevivência digna), menos de 1% do preço do helicóptero.
Fico me perguntando se esse pessoal se preocupa, um pouquinho que seja, com o "modo de sobrevivência" dos demitidos pela crise. O que você acha?
Aviso prévio: palavrão não entra neste espaço.

O golfinho furador.

Eu já vi cachorro tentar transar nas pernas de gente...

jumento se "encantar" com mulheres na praia...

mas esse eu nunca vi.

O Golfinho Furador!

e o carinha deve ser gaucho, tchê!!!

video

via e-mail

Atenção botequeiros!

(clique na imagem para ampliá-la)
Eles se chamam "trongs", têm jeito de brinquedo de criança e servem para comer coisas engorduradas como asinhas de frango e costelinhas de porco.
Perfeitos para serem usados em botecos e barzinhos afora, eles são espécies de garras siliconadas que se encaixam no polegar, dedo indicador e médio das duas mãos.
A idéia dos trongs é basicamente, comer aperitivos ensebados sem sujar nem queimar os dedos. Sei que soa como frescura e os botequeiros de plantão podem virar o nariz, mas vendo os vídeos no site, dá mesmo vontade de testar.
Adeus gordura no teclado do celular, no copo de cerveja, na calça ou na mão de outra pessoa que quer te cumprimentar. O conjunto com 6 pares custa 4,99 dólares.


Tirinha do dia


adão iturrusgarai

Para 2010

Sacada do veiorosa
* Saudades do Mussum

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Ofurô em aço inoxidável

By likecool

O retrato do PT "pós"-mensalão


Por André Carvalho (*)
btreina@yahoo.com.br

Chinadante
Por vezes sinto saudade do primeiro governo LILS com toda a corrupção em que se envolveu juntamente com o Partido dos Trabalhadores! Dirceu, Silvinho, Genoíno, Delúbio, Valério, Berzoini e tantos outros citados, interrogados e acabrunhados ocuparam todo o tempo da fanática bancada petista nas duas casas do Congresso. Da tropa de choque em defesa dos companheiros – e haja companheiro nisso – participaram figuras de proa como o deputado Arlindo Chinaglia e o senador Aloísio Mercadante.

Arlindo e Aloísio viviam de plenário em plenário, de comissão em comissão, de redação em redação, de advogado em advogado defendendo o indefensável. Discursos, interrogatórios, relatórios, pareceres, questões de ordem, hábeas corpus preventivo, apartes e conchavos. O tempo de ambos absolutamente tomado, numa correria insana, pois que era difícil convencer o Brasil e o mundo da inocência da “patota”.

Penso que, dado o impedimento em provar essa tal inocência, colocaram sobre a história um cobertor bem grande, chamado justiça, e reelegeram uns, esconderam ou esqueceram outros e absolveram os demais. Presos, foram poucos!

Findo o sufoco, a tropa de choque, desobrigada e desocupada, passou a legislar, o que não é tarefa para qualquer um! Veja só no que deu:


Mercadante é autor de texto aprovado na CCJ do Senado, proibindo o cidadão de dirigir em rodovias, no seu primeiro ano de habilitação.


Na cabeça que “transporta” um dos maiores bigodes da república, a lei reduzirá os acidentes de trânsito, pois os jovens, (sic) inconsequentes e sem experiência, deixarão de transitar nas rodovias. Pergunta-se: o que ocorrerá com aqueles que se habilitarem após a puberdade? Estão proibidos de dirigir ou a lei não os atinge? Como os jovens adquirirão experiência em estrada se não poderão trafegar por elas? Será que em simuladores instalados nas sedes das prefeituras? O que ocorrerá em municípios onde a estrada corta ao meio a cidade, a vila, o lugarejo, a exemplo de Brasília? O recém habilitado escolherá um dos lados da cidade/ rodovia para trafegar? É muita bobagem para um senador da república, não?

O deputado Arlindo, que “desfila” a mais grisalha cabeleira republicana (elogiar me deixa mais sereno), é autor de projeto de lei, aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados, que concede “estabilidade” de um ano – isso mesmo 01 ano – ao trabalhador, cuja mulher ou companheira, estiver grávida.


Num país que precisa desonerar a geração e manutenção dos empregos a lei é um retrocesso e um viés demagógico. Num mundo que necessita controlar a natalidade em busca da sobrevivência do planeta a lei Chinaglia é um tiro no peito.

Parece que o deputado petista não conhece o ciclo reprodutivo da espécie a que pertence ou não sabe fazer conta. Se a cada nove meses é possível gerar e parir um ser humano e se a lei garante 12 meses de estabilidade, os “com registro”, apoiados por sindicatos e centrais sindicais, engravidarão suas mulheres e companheiras, ou talvez vítimas, a cada dez, onze meses, de forma a manter a estabilidade no emprego, “ad eternum”. Já imagino a CUT distribuindo Viagra ou Cialis para seus associados pouco afeitos.

Quem vai cuidar e abrigar a prole, gerada em troca da manutenção do emprego, é outra questão. Certamente abrigos, doadores de sopa, bolsas diversas, cotas separatistas, casas de passagens, pilares de pontes e viadutos, delegacias, cadeias e cemitérios.

Assim caminha nossa humanidade, petistas à frente!!!


(*) André Carvalho é articulista free-lancer. Escreve no jornal A Tarde/BA e neste blog.

Battisti, uma questão italiana


Por Roberto Cotroneo (*)
L'Unità & Gramsci e o Brasil



Battisti, uma questão italiana

Não há nada a fazer, o caso Cesare Battisti não é mais um problema diplomático entre Itália e Brasil, está se tornando algo muito mais grave. Hoje [27 de janeiro], o embaixador italiano no Brasil voltará à Itália para consultas. É um ato duríssimo e sob certos aspectos clamoroso.
Neste momento, a tensão entre os dois países, com uma longa tradição de boas relações diplomáticas, parece pelo menos surpreendente. Nesta altura, Batisti certamente terminará como refugiado político no Brasil, porque nenhum país no mundo expõe-se com um parecer do seu presidente e depois recua das suas decisões. E é francamente impensável, sendo o Brasil uma das maiores potências do mundo, que a Itália interrompa as relações diplomáticas.
Mas não é no Brasil que a partir deste momento se joga a partida, mas sim na Itália. Porque o caso Battisti vai reexpor o nó da solução política sobre o terrorismo dos anos setenta na Itália. E é um nó que ninguém é capaz de cortar ou desatar.
O que fazer? Aceitar que um país soberano e importante conceda e legitime os homicídios de Battisti, reconhecendo que aqueles homicídios eram só a parte mais extrema e violenta de uma guerra civil, de um projeto político? Não era assim e não pode ser assim.
O único argumento seria este: passados trinta anos, tendo mudado de vida, tornando-se um senhor que vive como escritor, que sentido tem reabrir um caso do gênero? Pode-se não estar de acordo, mas tem uma lógica. Pena, e aqui está de fato o problema, que Battisti não peça uma solução política com base numa reflexão dolorosa e lúcida sobre a luta armada.
Todos sabemos que jamais disse uma só palavra sobre suas vítimas, jamais pediu desculpas aos familiares, mas de algum modo, por conta deste caso, tornou-se um testimonial da inevitabilidade da luta armada na Itália e do fato de que esta luta armada podia levar ao homicídio.
Tudo isso é realmente inaceitável, e o é ainda mais porque avalizado por um país soberano, importante, entre os maiores do mundo. Aceitar esta decisão significa uma derrota para todos nós, e talvez algo mais: implica a idéia de que pegar em armas contra um país, contra toda uma sociedade civil, contra cidadãos comuns, pode ser um mal inevitável ou, pior, uma necessidade.
O caso Battisti afasta para sempre do nosso cenário a solução política sobre o terrorismo dos anos setenta, faz-nos recuar, nos aniquila. Não servem mais para nada anos e anos de reflexões de todos os protagonistas sobre a luta armada na Itália, as palavras de perdão que dirigiram aos familiares das vítimas, o arrependimento autêntico de quem viveu aqueles anos e provocou vítimas, a reflexão crítica dos que se dissociaram da luta armada ou até de quem quis acertar até o fim suas contas com a justiça.
Está tudo cancelado, naquele sorriso zombeteiro que Battisti mostra diante dos flashes dos fotógrafos.
* Roberto Cotroneo é jornalista de L'Unità, que foi durante décadas o orgão oficial do Partido Comunista Italiano.

Escape do flagrante!

"O maior medo de quem acessa sites de conteúdo adulto é justamente ser pego no ato", diz a DM9 sobre uma peça que criou para a revista Sexy.
Um espelho retrovisor para monitor foi distribuido aos leitores durante o mês de dezembro. É para ser fixado no monitor, permitindo ao usuario saber quando alguem está se aproximando por tras dele - e ter tempo de mudar o que está na tela.

BlueBus
* no trabalho irá fazer o maior sucesso apesar que basta apenas a presença do retrovisor para que a desconfiança se instale.

Vamos acabar com o "gato"!


Atenção, internautas!


li no
BlueBus

Uma equipe de cientistas da Universidade de Tóquio inventou uma tinta que pode bloquear ondas eletromagnéticas de alta frequência - especificamente aquelas originadas nos sinais wireless de alta velocidade.
Em outras palavras, é uma tinta para pintar as paredes da casa ou escritório e proteger a sua rede WiFi de vizinhos indesejados que tentam quebrar a senha para pegar uma carona.
É apresentada como uma soluçao simples, barata e 4 vezes mais potente para segurança na internet porque bloqueia o sinal wireless para quem está fora do ambiente pintado com ela.
*para um país como o nosso que até gato recebe bolsa-família, deve vender que nem pão quente..

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Sexo na Publicidade

É um "viral" da Durex - comercial de camisinha.

Sugestão de Maialli.com

A ANAC e as promessas de Jobim.


Editorial do Estadão.

As promessas de Jobim.
As críticas ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, que Milton Zuanazzi fez ao deixar a presidência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) pareciam carregadas de ressentimento. Desde que assumira o Ministério, Jobim insinuava que Zuanazzi não tinha qualificações técnicas para o cargo e o pressionava publicamente para deixá-lo.
Quando, enfim, saiu da Anac, em novembro de 2007, Zuanazzi acusou o ministro de promover "meras ações midiáticas" e de ser autor de "manifestações despreparadas" e de "discursos sem qualquer conteúdo técnico".
Essas críticas soaram como um revide do ex-presidente da Anac a quem tanto o pressionara. Hoje se pode pensar que talvez Zuanazzi não estivesse tão longe da verdade. Das muitas medidas que Jobim anunciou e chegou a colocar em prática para melhorar as condições de operação do Aeroporto de Congonhas, com o objetivo de combater o caos aéreo e aumentar a segurança dos voos, a maioria tinha sido revogada pouco mais de meio ano depois.
Das promessas que fez para melhorar o setor aéreo, praticamente nenhuma saiu do papel, como mostrou um balanço publicado quinta-feira pelo jornal Valor.
Leia o artigo completo aqui

Miniatura

"Veiculos em miniatura que são réplicas dos originais de várias épocas. Os modelos mostram algumas gerações, entre eles um Ford T 1925 com 12 barris, uma pick-up 1935 com uma vending machine, um caminhão amarelo com 75 caixas de Coca-Cola e um GMC 1938 e com 136 engradados removíveis do refrigerante.
Ao contrário da açucarada bebida, os preços são bem salgados: cada um custa 169, 95 dólares no site Coca-Cola Store."

Na Bahia, a irreverência está com os dias contados ,,,

O site oaranha anuncia o fim de suas atividades.

Quem não conheceu,
principalmente se for baiano,
visite o site e vejam o que vão perder.


Quem conhece,
acesse o site e deixe seu recado,
via e-mail ou nos comentários.

Olha o desespero do baiano ...

... em plena guerra civil carioca!

via e-mail

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Desconstruindo Lula e o "naquilo lá".


Por André Carvalho (*)

btreina@yahoo.com.br

Fim de festa
O ano não terminaria “glorioso” apenas com o brasileiríssimo “sifu”. Necessário algo mais global para encerrar, com chave de ouro, um período de grandes asnices. Então lá vai: “O que está provado é que a ONU não tem coragem de tomar uma decisão de colocar a paz naquilo lá” disse Lula, ao comentar os recentes acontecimentos na Faixa de Gaza, mais uma vez incendiada pela incrível insensatez de homens e mulheres.

O que está provado é que nosso presidente conhece pouco do funcionamento e poder da ONU, mesmo tentando, a qualquer custo, incluir o Brasil dentre os membros permanentes do seu Conselho de Segurança. Trata-se de mais uma bravata, que a nada conduz, exceto elevar, nas camadas culturalmente menos favorecidas – e elas são a maioria da população – o sentimento de que há governo e governante. Aos despossuídos de informação e discernimento a fala de Inácio da Silva soa como sermão de Antônio Conselheiro. Arregimenta, não pela precisão do conteúdo, mas pela desqualificação do receptor.

O conceito de coragem é personalíssimo e alguns homens jamais teriam, por exemplo, a ousadia de concorrer a um mesmo cargo eletivo, quatro ou cinco vezes, derrota após derrota, até ser eleito por “fadiga do material”, eleitores e candidatos incluídos. O Inácio teve!!! Quem sabe, por excesso de intrepidez reclame a presença da coragem num organismo multilateral como a ONU.

Comenta-se que, por falta de preparo intelectual, Lula decide intuitivamente, pouco considerando as consequências de suas resoluções. Isso fica evidente em suas falas, sementes de mau gosto e indelicadeza, plantadas em solo fértil da ignorância popular, donde serão colhidos os frutos do Brasil vindouro. Tomar decisões acertadas requer sabedoria, não somente intuição como pensa nosso presidente. É possível que, assumindo o papel de líder máximo da humanidade, Inácio queira, com firmeza, enviar nossa seleção de futebol para promover a paz na região, a exemplo do que fez, sem êxito, no Haiti conflagrado.

Beira o pitoresco ouvir de um petista ferrenho, referências desairosas à ONU por não conseguir estabelecer a paz na Palestina, enquanto seu partido, mesmo ideologicamente uno e corporativista, vive às turras entre facções internas, inclusive com suspeitas, não comprovadas, de homicídios de correligionários – casos Celso Daniel e Toninho do PT, ex prefeitos de Santo André e Campinas, respectivamente.

Contudo, referir-se àquela região usando a expressão “naquilo lá” é, no mínimo, grosseiro para com seus habitantes, assim como para a comunidade internacional. Do ocidente católico ao oriente médio mulçumano há que se ter respeito por tradições e crenças. “Naquilo lá” significa três mil anos de história, o berço de três religiões, o solo de várias nações, uma cidade sagrada para milhões de seres humanos, e o sentido da vida para outras tantas pessoas. “Naquilo lá” irriga-se um deserto para produzir alimentos, enquanto nós, “nisso aqui”, distribuímos bolsas/cotas para encobrir o conflito social em que vivemos e morremos.

Respeito é bom! palestinos e judeus o querem!
(*) André Carvalho é articulista free-lancer. Escreve para o jornal A Tarde/BA e para este blog.

Desenhando com máquina de escrever


Que tal fazer arte com uma jurássica máquina de escrever? Isso mesmo que voce leu. A inglesa Keira Rathbone, de 25 anos, da região de Bournemouth, faz incríveis desenhos com a antepassada do computador.


Como os artistas modernos dos centros urbanos, Keira produz suas peças em calçadas de ruas e praças públicas. Sempre atrai uma multidão. E ela garante que não tinha intenção de fazer desenhos quando comprou a primeira máquina.
Se você acha que inventar umas expressões usando o teclado do seu computador (:^) / ;~* / I_o_I ) ou mosaicos usando programinhas lhe confere genialidade, espere para ver o talento de Keira.


Ela usa os tipos das máquinas de escrever para produzir desenhos complexos e sensacionais: paisagens, folhas, plantas e, os mais apreciados, celebridades como Nicole Kidman, Tom Hanks e Kate Moss. Cada obra de Keira sai por cerca de 2 mil reais. Visite seu site

Fonte: FernandoMoreira

Atenção baianos!

Nova loja de moda feminina no pedaço!
e com promoção de inauguração!


na estrada do côco!

Tirinha do dia

andré dahmer
Obvious

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Operação Carioca, na Espanha


A todo momento tomamos conhecimento de brasileiros retidos e extraditados dos aeroportos espanhóis, e nos perguntamos: é perseguição?. Pois vejam abaixo o que o blog do OrlandoTambosi revela:
"Junto às commodyties que o Grotão sempre exportou vai agora uma novidade: o falsário. Depois tem gente que fica indignada quando brasileiros são barrados na Espanha. Pois bem, os espanhois empreenderam a "Operação Carioca" (nome apropriadíssimo!) e prenderam 33 grotenses.
O crime é nosso know-how.
Ou alguém pensa que exportamos cientistas?
Detalhe: "De acordo com dados do Ministério do Interior espanhol, os brasileiros já são a principal nacionalidade na lista de falsificadores mais procurados pela polícia da Espanha, superando os nigerianos."
Aqui, até gato recebe Bolsa Família."

Itália / Brasil / França

No último dia 18, este blog divulgou (ver aqui) que o governador Jaques Wagner (PT-BA) afirmava que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu pessoalmente a Lula, durante a visita ao Brasil, uma intervenção para impedir a extradição do italiano Cesare Batistti, condenado por homicídio em seu país.
Sobre isso o Estadão afirma que:

"Itália acusa Sarkozy e Bruni de pressionarem Brasil a dar asilo a ex-terrorista"
O presidente da França, Nicolas Sarkozy, e sua esposa, a franco-italiana Carla Bruni, foram acusados pelo o subsecretário de Relações Exteriores da Itália, Alfredo Mantica, de terem pressionado o Brasil a dar asilo político ao ex-terrorista Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos na Itália.
Carla Bruni, em entrevista à emissora RAI, negou veementemente a acusação, que classificou como calúnia. A primeira-dama francesa disse estar contente por ter a oportunidade de esclarecer os fatos e deixar claro principalmente aos familiares das vítimas de Battisti que não teve qualquer participação no caso.
*Quem será que está falando a verdade?

Isto é o governo do PT

Processado em diversos estados do Brasil por incentivar invasões e depredar propriedade privada e pública, o dirigente nacional do Movimento dos Sem-Terra, João Pedro Stédile, não perde a mordomia: ele foi flagrado pelo jornal Diário do Pará, passeando na caminhonete Toyota, placa JVI 8046, do Instituto Chico Mendes, órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente.
Stédile estava em Parauapebas (PA), onde estava sendo realizado o Fórum Social Carajás, e, surpreendentemente, não participou nem da abertura do evento nem da coletiva de imprensa. Mas não esqueceu de pegar carona com o chefe local do Ibama, que cedeu o carro.
Fonte cláudio humberto

Atenção no Congresso!

foto de Alan Marques, para a Folha
Nada é o que parece,
por Carlos Brickmann
Chata essa história de Presidência da Câmara, não? Não interessa a ninguém, a não ser os candidatos! Mas interessa, sim. E pode influenciar a vida de cada um de nós.

O motivo de tanta luta é um cálculo sinistro: o presidente da Câmara é o segundo na linha da sucessão do presidente da República.
Como o vice, José Alencar, está com a saúde abalada e talvez não possa assumir, o presidente da Câmara passa a ser o sucessor de Lula. Fica a uma batida do coração do mais alto cargo da República.
Mas fiquemos numa linha mais otimista. O presidente Lula viaja muito; e, nessas viagens, o substituto tem o poder de fazer muita coisa em pouco tempo. Pode nomear e demitir. E Lula, ao voltar, que descasque o abacaxi.
Ou, em outra hipótese, se vier o terceiro mandato (pela manobra do fim da reeleição), o presidente da República precisaria se desincompatibilizar para concorrer. Pense só: o PMDB, que é o que é sem estar na Presidência, que é que faria se estivesse!
Já a história de Presidência do Senado continua chata, não? Não interessa a ninguém, a não ser os candidatos! Mas interessa, sim.
Ao lado de Sarney, do PMDB, há gente interessada na volta por cima, como Renan Calheiros e Roberto Jefferson. Sarney quer o cargo não só para ajudá-lo a retomar o Maranhão, onde perdeu força, mas também para evitar investigações muito duras sobre seu filho. E, de bônus, se o PMDB presidir Câmara e Senado, dará ampla contribuição à luta contra o desemprego.

Bebidas na NBA

imagem do blog do inusitado
Palavras do Jogo de Negócios

"Em tempos de crise vale tudo?
Quais os limites do marketing e da publicidade no esporte?

Em uma decisão polêmica (e até irresponsável) a NBA anunciou que estuda liberar a exibição da propaganda de bebidas alcoólicas, do tipo destiladas, em todos os lugares das arenas onde são disputadas os jogos de basquete.

Até agora, só eram autorizados os lugares onde as câmeras de televisão não pudessem mostrar as marcas nas transmissões, ou seja, os anunciantes podiam estar presentes apenas nos bares e pequenas ações que costumam ocorrer nos intervalos.

A liberação agora é geral e vale até para as lojas internas, ações de pontos de venda e websites dos clubes.

O objetivo é aumentar as receitas publicitárias, que andam escassas atualmente. Desde 1991 que essa prática estava proibida. Vinte, dos trinta times da NBA, atualmente tem contratos com empresas desse ramo e poderão se beneficiar com tal medida.

Outras ligas dos EUA, como a MLB, NHL e a Nascar, também tomaram atitudes semelhantes. Apenas a NFL continua proibindo a exibição das marcas nas transmissões televisivas.

Orlaandelli e a reforma ortográfica, 4

clique na tirinha para ampliar
http://blogdoorlandeli.zip.net/

Em tempos de crise ...

Em tempos de crise, é preciso encontrar formas alternativas de trabalho. Algumas pessoas conseguiram um emprego bastante inusitado: viraram pesos de academia em Londres.
A Gymbox, no centro da capital inglesa, resolveu trocar parte dos pesos por pessoas de carne e osso. Há gente de todos os tipos - para os pesos mais baixos, estão sendo usados anões. Com a medida, a academia londrina espera tornar o ambiente da malhação mais humano e atrair mais clientes.



domingo, 25 de janeiro de 2009

A marolinha no futebol ingles

charge de duke



"Confirmado. Mesmo com a benevolente ajuda do governo norte-americano (US$ 150 bilhões), a seguradora AIG finalmente anunciou aquilo que já era esperado: não vai renovar o contrato de patrocínio com o Manchester United, que termina em maio de 2010.
A empresa foi uma das mais afetadas pela grave crise econômica e já havia divulgado cortes em outras ações de marketing no esporte, como aquelas que tinha com os times de beisebol New York Yankees e Houston Astros e os de basquete New York Knicks e Houston Rockets, além de torneios de tênis.
O contrato entre ambos é o maior do mundo no futebol e rende 14 milhões de libras ao time inglês atualmente.
Não ficou claro se o contrato, assinado no início de 2008, de 5 milhões de libras destinado para o projeto MU Finance, que iria oferecer seguros, empréstimos e cartões de créditos personalizados para os torcedores e fãs do clube, também vai ser cancelado, já que esse teria duração de seis anos e meio.
O Manchester anunciou que já esperava por tal decisão e que as negociações com outras empresas estão em andamento.

Disco voador fotografado!



O flagrante de ficção científica foi registrado por Sonja Lewis, que trabalha em um clube de golfe no País de Gales. As nuvens se juntaram para dar forma a um "disco voador".
"Nunca tinha visto algo como isso antes. Foi como se as nuvens tivessem subido umas nas outras", contou Sonja.
De acordo com meteorologistas, tal formação não é comum. Ela ocorre nas proximidades de montanhas em dias de céu claro e com boas condições de vento e atmosféricas.

Acabaram com a fleuma do ingles!

Tradição inglesa foi para o espaço!
Guarda real britânico perde a linha e ataca turista

Um guarda real britânico que estava de serviço no lado de fora do Saint James Palace perdeu a linha... e a paciência.
Irritado com o turista colombiano Nick Ibarra, que não parava de imitar os seus movimentos, o guarda partiu para o ataque, acertando a cabeça do jovem com um tapa. Segundo testemunhas, o guarda, que estava armado com um rifle, ainda tentou chutar o sul-americano engraçadinho.
A cena foi filmada por uma prima do estudante. O guarda tem ordem de apenas abandonar o seu posto se algum membro da família real estiver sob ameaça. Ele deverá ser duramente repreendido por seus superiores.


FernandoMoreira

A Semana

sinfrônio

simanca

sponholz

simanca


ique

rico

nani

samuca

duke
ique

Fontes
prosaepolítica

trem azul

charge online