sexta-feira, 27 de junho de 2014

O PT e a imbecilidade como projeto de Poder

 
 Gaudêncio Torquato em sua Coluna
Publicada em 25JUN2014
 
Zelites
Essa mania de achar que a "zelite branca" é a responsável pelas maldades que assolam o território nacional já bateu no teto. Ninguém aguenta mais tal bobagem. Afinal, Lula é de que zona da "zelite" ? E a presidente Dilma ? Os réus do mensalão fazem parte de que parte da "zelite" ? Joaquim Barbosa, o juiz que preside a mais alta Corte, é ou não é "zelite" ? Faz mal ou bem à Nação ? Se fez mal ou bem, que "zelite" representa no repertório das maldades do país ? A "zelite negra" ? Haja mistificação. Haja sofisma. Haja paciência com a imbecilidade.
 
FAUSTO
 
 
Mas é claro que o apartheid entre pobres e ricos, "nós e eles", interessa ao PT. Que, apesar dos avanços institucionais e atitudinais que ocorrem no país, teima em ressuscitar motes do passado. Lula acha que o discurso da separação de classes favorece o PT. Está equivocado. Até as massas ignaras não toleram mais viver sob refrãos obsoletos. O resgate desse discurso é uma tentativa de botar novamente no palanque a polarização PT x PSDB, os primeiros vestindo a pele da ética e os segundos, o manto da maldade. Será que Lula e adjacências acreditam que podem continuar a enrolar as massas com o celofane da mistificação ?
 
DUKE
 
 
Lembremos : em 1972, Lula vestia a camiseta do João Ferrador, personagem criado pelo jornalista Antônio Felix Nunes para apresentar as reivindicações dos metalúrgicos. O bordão do raivoso Ferrador era : "hoje eu não tô bom". Em 2002, adotou o slogan "Lulinha paz e amor", contrapondo-se ao perfil combativo e sisudo das eleições de 1989, quando recebeu de Leonel Brizola a alcunha "sapo barbudo". Passou a ecoar o slogan : "a esperança vencerá o medo". Foi um tento. Hoje, tenta recompor o dito sob nova roupagem : "a esperança vencerá o ódio". Nesse ponto, emerge a dissonância. O ódio faz parte da estratégia lulista, quando procura resgatar a polarização entre petistas e tucanos, identificando os primeiros com os ricos e os segundos com os pobres.
 
SPONHOLZ
 
 
A questão, porém, é mais complexa. Os habitantes do meio da pirâmide e parcelas das bordas já estão vacinados contra os refrãos carcomidos pela poeira do tempo. O slogan das ruas é outro : "mais e melhores serviços públicos". Não acreditam que estatutos como o Bolsa Família serão extintos qualquer que seja o futuro presidente. Aos tucanos, por sua vez, interessa acender a tocha da polarização, crentes de suas chances no pleito deste ano. Fernando Henrique decide ir à trincheira : "Lula vestiu a carapuça", resposta à crítica de que teria "comprado" apoios para aprovar a reeleição.
 
 
 
Depois de ter brilhado na constelação da ética, o PT aparece nas pesquisas como o ente que mais encarna o vírus da corrupção.

12 anos de Brasil pelo traço de ANGELI, II







quinta-feira, 26 de junho de 2014

quarta-feira, 25 de junho de 2014

De cara na bola

video

A Copa e a mordida

É difícil crer que alguém ganharia algo com a mordida de Suárez no italiano Giorgio Chiellini. Mas um apostador norueguês faturou R$ 7 mil por prever que ele repetiria o gesto violento – foi a terceira vez que o uruguaio cravou seus dentes em um rival. O segredo para vencer, de acordo com ele, foi "estudar" os rivais. De acordo com o site ESPN.com, ele não foi o único: 167 pessoas ganharam dinheiro fazendo esta previsão bizarra na Copa.



Na verdade, Richard Helmers, de 24 anos, só estava brincando. Apostou cerca de 12 dólares que Suárez voltaria a morder alguém, e levou uma bolada.

"Foi só por diversão. Mas eu sabia que se ele jogaria contra Itália e Inglaterra, ele poderia ficar irritadiço", explicou à TV2 o norueguês, que não esperava que fosse estar tão certo.

"É realmente surreal. Eu sentei para assistir o jogo e quando aconteceu (a mordida) começaram a pipocar mensagens dos meus amigos que sabiam que eu tinha feito essa aposta. Foi divertido. Eu comecei a rir. Pensei: 'ele é realmente tão estúpido de fazer isso de novo?", afirmou Helmers.

Fonte UOL

Bom para ele, ruim para Suárez. O uruguaio está sendo investigado pela Fifa e pode ser suspenso pelo ato de indisciplina.

Há ainda registros de quem ganhou até mais dinheiro que Helmers. De acordo com a ESPN, um apostador faturou R$ 7.350. Outro, Thomas Syverson, conseguiu cerca de R$ 2000, tendo jogado R$ 12, apenas. Cada dólar apostado nesta previsão, no momento em que era feito o jogo, tinha previsão de ser convertido em 175.

Em 2010, quando jogava no Ajax, Suárez deu uma dentada em Ottman Bakkal, do PSV. Ele foi punido com multa e suspensão por sete partidas. Três anos depois, no Liverpool, ele mordeu o braço de Branislav Ivanovic e pegou um gancho de dez jogos.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Charges - o Brasil na Copa

SINOVALDO

AMARILDO

BRUNO


CLAYTON

DUKE


FAUSTO



SID

Gol contra de pênalti

video

Copa e comportamento

Por Divaldo Franco
Artigo publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião em 19JUN2014

Copa e comportamento
Vive a nacionalidade brasileira um momento de extraordinária significação: ser conhecido praticamente em todo o mundo, naquilo que tem de melhor, excluindo os tradicionais comentários sobre a “alegria e festas, as mulatas, o samba e o football.”

Sponholz


A COPA proporcionou a mais de um bilhão e quinhentos milhões de pessoas que não conhecem o Brasil ou recebem notícias, distorcidas umas, lamentáveis outras, de corrupção, de crime, de desrespeito aos direitos democráticos, fenômeno, aliás, que acontece em todos os países, em uns mais do que noutros, a ocasião de apresentarmos desde a sua abertura o que temos de melhor, considerando-se sermos a sétima economia do mundo.

Há problemas governamentais, escassez de escolas e de hospitais, desemprego e violência, sem dúvida, mas também existem milhões de cidadãos honrados, de jovens dignos que disputam nas universidades e institutos de tecnologia um lugar ao Sol, de idosos veneráveis e de crianças geniais, de estudiosos dos problemas humanos e de lutadores que anelam por uma sociedade feliz.

Se houve motivos para que muitos cidadãos não concordassem com a realização da COPA em nosso território, em face de mais urgentes necessidades, aliás, urgentíssimas, não seria através do desrespeito na abertura do Evento à Sra. Presidente, eleita pela maioria dos cidadãos, especialmente através de agressões covardes e chulas, daqueles mesmo que estando contra, lá se encontravam.

Aroeira


Os jornais do mundo, que também gostam do escândalo, falaram sobre a COPA, sim, mas deram destaques às vaias, às badernas nas ruas, demonstrando o primarismo em que muitos brasileiros ainda nos encontramos.

Não será por esse processo que se construirá um povo digno, uma sociedade feliz, mas sim, através do voto, que logo mais seremos convocados a exercer como direito soberano de liberdade, elegendo pessoas dignas, que nos não comprem com um par de sandálias japonesas, nem com os cargos oferecidos nas planilhas governamentais...

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Deus e o diabo na terra do sol

Por Antônio Ribeiro.
Direto de Paris
Postado em 28ABR2014

A imagem que ilustra este post poderia ser a paródia do cartaz de “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, filme do baiano Glauber Rocha. No entanto, trata-se apenas do registro de uma cena ocorrida na manhã da quarta-feira, 21 de janeiro de 1998, durante encontro entre dois influentes personagens do século XX. João Paulo II, canonizado pelo catolicismo, e Fidel Castro, louvado por fiéis da paróquia comunista e adjacências.
O autor da fotografia se obrigou madrugar às cinco horas da manhã para ocupar posição central no tablado reservado à imprensa. Mais especificamente no ponto em que, através da objetiva Canon de 600 milímetros pesando quase 4 quilos, se via exatamente o meio do tapete vermelho, estendido na pista do Aeroporto José Martí, em Havana. Mas a motivação para saltar da cama e pular o café da manhã surgiu antes. Ela veio de uma leitura.
Em 1977, o jornalista Tad Szulk, biografou tanto o conterrâneo Karol Wojtyła quanto o ditador cubano, escreveu que Fidel e João Paulo II tinham traços comuns: o dom da oratória e a aguda sensibilidade pela dramaturgia. Isso porque, segundo o veterano jornalista do New York Times, ambos eram atores natos. Porém, naquela manhã, sobre a prova do sol claro e forte, até o contraste dos trajes opunham as duas figuras.
No seu discurso de boas-vindas Fidel chegou a comparar os cubanos aos cristãos da Antiguidade, perseguidos pelo Império Romano. Na versão do ditador, naturalmente, o império era os Estados Unidos da América. Escolado em casa, João Paulo II ouviu a lorota. Quando tomou a palavra, João Paulo II agradeceu ao “Senhor da História” por ter mantido a presença cristã na ilha durante mais de 500 anos desde Cristóvão Colombo. Incluído aí, os momentos em que o contingente de mensageiros da pastoral se arrefeceu.
O tempo passa com um piscar de olhos. Na imagem que ilustra este post, o dedo em riste foi se tornando menos eloquente. Hoje, o olhar do papa fala bem mais. Fidel fez o que pôde para disseminar o seu credo. João Paulo II contribuiu para colocá-lo no devido lugar, o anacronismo. E com tamanho real, a insignificância.
Nenhum dos atores levou o Oscar da  Academia de Artes e Ciências Históricas. João Paulo II, no entanto, arrebatou a  admiração da vasta maioria do público ainda que tenha atuado em menor tempo e deixado o palco primeiro.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Um Jaguar cortado ao meio

Cortaram um Jaguar F-Type Coupé ao meio! E veja o resultado sensacional: de um lado, os vincos atraentes e a cor vermelha pulsante do esportivo. De outro, a estrutura leve, em alumínio, que ressalta os discos de freio em carbono-cerâmica  e toda a tecnologia do cupê.
 
Fotos: Divulgação/Jaguar
 

 

O modelo foi feito pela Jaguar especialmente para uma exposição de arquitetura e design realizada pela revista norte-americana de Wallpaper, apoiada pela marca britânica, que terá início no próximo dia 17, em Nova York, nos Estados Unidos, durante a feira de arquitetura ICFF (International Contemporary Furniture Fair). 

  
 O F-Type Coupé acelera de zero a 100 km em apenas 4,2 segundos, de acordo com a Jaguar. É equipado com motor 3.0 V6 de 340 cv (e 380 cv no modelo V6 mais apimentado) e um 5.0 V8 de poderosos 550 cv de potência.

12 anos de Brasil pelo traço de DUKE, II






Duke

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Vassoura santa

Artigo transcrito na íntegra do ótimo Besta Fubana

Semana passada eu li uma reportagem sobre a venda de “vassouras ungidas” numa igreja evangélica. Vassouras que serviriam pra varrer da casa dos crentes a figura do demônio, junto com todo e qualquer lixo espiritual.

Achei arretadas as imagens do culto vassoural, estas imagens que estão contidas nas fotos postadas logo a seguir.

Tenho aqui no meu arquivo várias outros reportagens, sobretudo vídeos, falando sobre objetos que são comercializados, depois de ungidos, como rosas, colher de pedreiro, sabonete, tijolo, perfume e até mesmo camisinhas.

O pastor Valdemiro Santiago vende as toalhas com que enxuga o suor do rosto, garantindo que elas, quando esfregadas no focinho do comprador, curam todas as doenças do mundo e trazem riqueza, fartura e prosperidade pro fiel tabacudinho.

Já vi de tudo, mas “vassoura ungida” esta foi a primeira vez.

Além das imagens, outra coisa que me chamou a atenção foi o preço de cada vassoura: R$ 1.000,00.

Isso mesmo: mil reais cada uma!
vas2 


Prestem atenção nesta última foto. Esta que está imediatamente acima deste parágrafo. Olhem pras caras dos fieis que levantam pro alto as vassouras ungidas e pelas quais irão pagar R$ 1.000,oo.

Olhando as imagens das pessoas que compõem esta platéia de uma igreja evangélica, comprando vassouras ungidas pelos pastores, me veio à lembrança uma outra imagem.

Uma foto que foi feita em outro templo e com outro pastor comandando o culto. Uma outra religião que conta com fieis tão tabacudos quanto os das igrejas neo-pentencostais.

Me digam mesmo: as platéias não são iguazinhas??? Confiram que os componentes das duas igrejas tem as massas encefálicas constituídas pelo mesmo material excremental.

Comparem as caras que estão na plateia da foto lá de cima com as caras que estão na plateia na foto aqui embaixo.

E me respondam: tem alguma vassoura no mundo que consiga varrer a massa fecal contida na caixa craniana destes crentes???!!!


A Igreja dos ateus

Por Fernando Antônio Gonçalves
 
Uma quase profecia
É domingo, 11h. Cerca de 300 pessoas estão num anfiteatro no centro de Londres. Não sobra uma poltrona vazia. Todos cantam músicas, silenciam o ambiente em reflexão, e alguns relatam histórias de vida. A sacolinha do dinheiro aparece rapidinho. “Sugerimos doações de 3 a 5 libras (R$ 12 a R$ 20), algo assim, ou o que você puder. Obrigado pela generosidade”, diz Sanderson Jones, 32 anos. A maioria contribui. “Nossa missão é tentar ajudar as pessoas, celebrar o fato de estarmos vivos”, lembra Jones. Todos aplaudem.




Uma banda está no palco. Palmas introduzem “I’m So Excited”, da banda pop Pointer Sisters, sucesso nos anos 70 e 80. Jovens, casais, idosos e crianças levantam da poltrona e cantam em coro. Depois, euforia com o hit do ano, “Get Lucky” (Daft Punk).

Agora, silêncio geral. Um jovem neurocientista, então, explica o poder da mente, o fenômeno da sinapse, como controlar sensações e sentimentos. Cabe a uma jovem contar seu drama de superação após um dano cerebral.

Cerca de 300 pessoas se reúnem para o culto da Sunday Assembly, igreja sem religião em Londres.






Sanderson Jones retorna ao microfone: “Pessoal, é o momento de refletir a sorte que temos em ter uma mente em funcionamento”. Todos quietos, olhos fechados, cabeças baixas, por dois minutos. Agora, a banda no palco levanta os fiéis com “Always on my Mind”, clássico eternizado por Elvis Presley. Uma hora se passa, fim de culto, todos comungam biscoitos, leite, café e chá.

Ninguém arrisca saudar o colega ao lado com “amém”, “glória a Deus”, “fique com Deus”, ou algo similar. Ali, praticamente todos são ateus frequentando a Sunday Assembly (Assembleia de Domingo).

É uma espécie de igreja ateísta criada há um ano em Londres e que já virou um pequeno fenômeno com ao menos 30 “filiais” nos Estados Unidos, Austrália e Canadá, o Brasil podendo ganhar uma brevemente. Segundo o site oficial, trata-se de “uma congregação sem Deus que celebra a vida”. Em Londres, tem a fama de ser “a igreja dos ateus”.




Além de pregador oficial, Sanderson Jones, um homem de cabelos e barbas compridos, é também o fundador da Sunday Assembly. Oficialmente, sua profissão é de comediante.

Nascido em família religiosa, diz que perdeu a crença em Deus aos 10 anos, quando a mãe morreu de câncer. Questionado se ainda tem alguma crença, faz um trocadilho em inglês: “I don’t believe in God, but in good” (não acredito em Deus, mas no bem).

 A ideia de um culto ateísta (expressão de que não gosta muito), conta, surgiu há seis anos, durante o Natal. “Tudo aquilo era fantástico, as músicas, a comunidade, o fato de melhorar a si mesmo. Nós devemos celebrar a vida, é o nosso foco, o sentimento de comunidade”, diz.

Em seu site, a Sunday Assembly dá suas diretrizes: é um lugar para quem quer viver melhor, ajudar, discutir o mundo e 100% de celebração só da vida. A meta de Jones é atingir mil igrejas em uma década. Alguns brasileiros já o procuraram para abrir filial no país, diz. “Devo ir ao Brasil em setembro, mas estamos em fase de montagem, não posso dar detalhes.”

Não há, em tese, requisito para que os frequentadores sejam ateus, desde que entendam que ali não haverá menção a Deus – mas também não há pregação contra, ao menos no culto presenciado pela reportagem.






Ninguém aqui pergunta sua religião”, diz o engenheiro Gerard Carlin, 31, que atua como voluntário. Foi católico e hoje se declarafortemente ateu”. Ele é um dos que ajudam a contar as doações, cujo valor não revela. “É pouca coisa que arrecadamos, só para pagar os custos, como locação, o piquenique depois, a banda”, afirma.

“E aí, gostou?”, pergunta a jornalista alemã Gabi Thesing, 21, frequentadora há quatro meses dos cultos. “Já fui católica, mas hoje não acredito em Deus, religiões. Acredito no poder das pessoas, da energia”.

Estudiosos em teologia no Reino Unido, como Nick Spencer, do centro de estudos Theos, tem dito que a Sunday Assembly não chega a ser um fenômeno necessariamente novo e se parece com movimentos antigos de pessoas que não creem em Deus, mas usam ritos tradicionais religiosos em seus encontros privados.

O empresário britânico Andrews Wett, 47, se diz um “adepto não praticante do budismo”. Foi levado pela namorada ao culto. Opina sobre a grande quantidade de jovens: “Isso mostra um pouco como as igrejas tradicionais têm perdido fiéis”.

Antes de a reportagem deixar o local, alguns entrevistados se despediram com um “vejo você da próxima vez”.

A espiritualidade cresce, as denominações religiosas se minimizam, eis um balizamento significativo para um século que se deblatera contra os desatinos de uma sociedade pouco humanística, nada solidária.