terça-feira, 31 de agosto de 2010

As eleições vêm aí...

Dilmentira e o ponto eletrõnico!

Dúvidas? clique na imagem para ampliar

Piadinha

Um casal de velhinhos está deitado na cama.


A esposa não está satisfeita com a distância que há entre eles.



Ela lembra:

- quando éramos jovens, você costumava segurar a minha mão na cama.
Ele hesita e, depois de um breve momento, estica o braço e segura a mão dela.


Ela não se dá por satisfeita.
- quando éramos jovens, você costumava ficar bem pertinho de mim.
Uma hesitação mais prolongada agora e, finalmente, resmungando um pouco, ele vira o corpo com dificuldade e se aconchega perto dela da melhor maneira possível.

Ela ainda insatisfeita:
- quando éramos jovens, você costumava morder minha orelha...
Ele dá um longo suspiro, joga a coberta de lado e sai da cama.

Ela se sente ofendida e grita:
- aonde você vai ?

- BUSCAR A DENTADURA, "VÉIA" CHATA DA PORRA !!!

Enviada por Verinha Conceição, artista plástica baiana

Fábio Barbosa, presidente do grupo Santander/Br

Pouco mais de 16 min, mas vale a pena.
Por um país ético!


Idéias que merecem ser espalhadas


O TED (Technology, Entertainment and Design) surgiu em 1984 como uma conferência anual na Califórnia e já teve entre seus palestrantes Bill Clinton, Paul Simon, Bill Gates, Bono Vox, Al Gore, Michelle Obama e Philippe Starck.

Apesar dos mil lugares na platéia, as inscrições esgotam-se um ano antes. Cerca de 500 das palestras estão disponíveis no site do evento e já foram acessadas por mais de 50 milhões de pessoas de 150 países.


Palestra gravada em 14.11.2009

Sobre o TEDx São Paulo
http://www.tedxsaopaulo.com.br/

O que o Brasil tem a oferecer ao mundo agora?

No espírito das ideias que merecem ser espalhadas, o TED criou o programa chamado TEDx. O TEDx é um programa de eventos locais, e organizados de forma independente, que reúne pessoas para dividir uma experiência ao estilo TED.
 
O TEDx São Paulo é uma conferência sem fins lucrativos que reunirá mais de 30 pensadores de áreas de conhecimento tão diversas quanto arte e tecnologia, ciência e negócios, para falar sobre suas melhores ideias em palestras com duração de 5 ou 15 minutos.

Campanha ' Xixi nas Ruas ' têm desdobramentos

Por Toinho de Vadú.


Recentemente o prefeito de Salvador - minha cheirosa cidade, decretou uma guerra sem tréguas - ameaças, multas, prisão - ao fato contumaz do soteropolitano (cidadão de Salvador) fazer XIXI NAS RUAS.

De imediato alguns donos de bares preconizaram uma outra campanha, na certa em apoio ao prefeito Janjão:

MIJE DENTRO DO VASO.
MIJO NÃO É PERFUME.

Para comprovar o que falo vejam a foto abaixo tirada no Bar Guadalupe, aqui na rua Pará, Pituba.

Méritos para o retratista militante, Arlindo Valois von Flach, que corajosamente adentrou o espaço exíguo (e nada perfumado, como bem disse o argentino, dono do boteco) para registrar em 1ª mão, o testemunho dessa campanha, melhor dizendo, dessa luta inglória.





Arlindo - os Pilordianos, penhoradamente agradecem e parabenizam tamanha entrega e dedicação.

Bem, voltando à luta também inglória de nosso alcaide Janjão ao hábito - salutar dizem uns, insalubre dizem outros - de fazer xixi nos becos, ruas, esquinas, paredes, terrenos baldios e outros nem tão baldios assim, poderia simplesmente perguntar:

Cadê os sanitários públicos, senhor prefeito?

Mais não, para melhor explicar este costume soteropolitano existe uma poesia intitulada Das razões porque os baianos mijam pelas ruas da urbi, poema póstumo, ditado do além por Gregório de Mattos e Guerra, psicografado em conhecido mas não divulgado Centro Espírita de Salvador, cujo nome não revelo para preservar sua reputação.

Mas também para preservar a reputação desse blog não coloco aqui.

MAS caso queiram ter conhecimento dela - da poesia psicografada de Gregório de Mattos e Guerra, enviem-nos um e-mail ou solicitem pelo campo COMENTÁRIOS informando o e-mail para onde devo mandar, o belo e revelador poema.

Recomendo, não irão se arrepender.

PS - Falsos moralistas e menores de idade, sugiro que não se candidatem.


Ela = Anna Ivanovic

As eleições vêm aí


Uma breve história de quase tudo


Acervo Pilórdia

Eu era feliz e já sabia!


por e-mail

Jornal controlado pelo governo iraniano, insulta 1ª dama da França

E é com esse governo que o presiMente Lulla se solidariza!

O editor-chefe desse jornal é escolhido pela alta cúpula do Irã.


Um jornal iraniano publicou nesta terça-feira que Carla Bruni, mulher do presidente francês, Nicolas Sarkozy, merecia morrer depois de expressar solidariedade a uma mulher que foi condenada à morte por apedrejamento após cometer adultério.

O jornal linha-dura Kayhan chamou Bruni de "prostituta" cujo estilo de vida significava que ela merecia um destino semelhante ao da iraniana que foi condenada à morte por adultério.



Bruni foi uma das diversas celebridades francesas que publicaram uma carta aberta a Sakineh Mohammadi Ashtiani, cujo caso provocou indignação internacional e trouxe à tona o uso do apedrejamento no Irã como pena capital.

Bruni escreveu: "Derrame seu sangue, deprive as crianças de sua mãe? Por quê? Porque você viveu, porque você amou, porque você é uma mulher, uma iraniana? Cada parte de mim se recusa a aceitar isso."

o jornal Kayhan, cujo editor-chefe é nomeado pelo líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, publicou a carta de Bruni no sábado, sob a manchete: "Prostitutas francesas começam a defender direitos humanos".

Na terça-feira o jornal voltou ao assunto, criticando a "relação ilícita (de Bruni) com diversas pessoas", acusando-a de causar o divórcio de Sarkozy com a segunda esposa.

"Analisando o histórico de Carla Bruni, vemos claramente os motivos pelos quais uma mulher imoral estaria defendendo uma iraniana condenada à morte por adultério e por ser cúmplice do assassinato de seu marido e, de fato, ela mesmo merece morrer", afirmou o jornal.

Ashtiani, mãe de dois filhos, recebeu 99 chicotadas por ter mantido relações ilícitas com dois homens. A sentença de apedrejamento foi suspensa e aguarda revisão jurídica, mas pode ser executada, disse uma autoridade judicial iraniana.


Os insultos da imprensa iraniana contra Carla Bruni, a esposa do presidente francês Nicolas Sarkozy - apresentada como uma "prostituta" por um jornal -, são inaceitáveis, afirmou nesta terça-feira o ministério francês das Relações Exteriores

Terra.notícias

Brasil-sil-sil !


Kibeloco

As eleições vêm aí

Ivan Cabral, a charge

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Chifre, por que tê-los!

video

Colaboração de Synval Rocha

Entrevista com Angeli

Angeli

Ele não é de oposição nem de situação. É contra a politicagem e o politicamente correto

A Revista Trip publicou na edição deste mes uma entrevista de tirar o fôlego com o chargista, desenhista, cartunista, quadrinista, tirinhista (arghh), criador da Rê Bordosa, da revista (junto com seu amigo de infância Toninho Mendes - sou eu não) Chiclete com Banana - Angeli.



Angeli, a quem outro fera - o Millôr - em um seu artigo Os Normais do Angeli, disse:
"quando ele nasceu, o pai vendo com orgulho o que tinha pela frente, mas não querendo humilhar ninguem com seu orgulho, chamou-o de Angeli. Angeli é anagrama de genial."

E este blog, ou seja nós, também tiramos uma lasquinha, reveja post feito em maio de 2008 para a coleção [A]Mostra de Humor homenageando o próprio, clicando aqui

Vamos agora à entrevista, ao final informo o link para, recomendo, ler a reportagem completa.

Arnaldo Angeli Filho, 53 anos, coloca sua prancheta diariamente a serviço da avacalhação ampla, geral e irrestrita. Homem ou mulher, liberal ou conservador, descolado ou careta, não passa nada. Todos ridículos cidadãos da República dos Bananas, um país imaginário, incrivelmente semelhante a uma certa República Federativa do Brasil, formado por incríveis 28 mil charges políticas e tirinhas de comportamento – boa parte reproduzida na Folha de S. Paulo, onde Angeli publica há 37 anos.

No jornal, é o único nome que frequenta regularmente tanto o caderno de política quanto o de cultura.



Suas charges, que lhe valeram a reputação de mais contundente chargista político do país, saem quatro vezes por semana no espaço nobre da página 2. Suas tiras, crônicas ilustradas de costumes e maus costumes, ocupam diariamente o topo da seção de quadrinhos. Para Angeli, não tem diferença: “Olho da mesma forma para o comportamento e para a política. Nas charges, penso como crítico de comportamento”. Há tempos é assim.

No apartamento de dois quartos onde mora e trabalha, no bairro paulistano de Higienópolis, Angeli conversou com a Trip entre cafés, cigarros e, como ninguém tem mais 20 anos, pães de queijo.



Pendurado na sala, um pôster reproduz uma tira da série “Angeli em crise”. Lá está o avatar do cartunista, olhando a cidade pela janela. No primeiro quadrinho, ele se gaba: “Carros, edifícios, fumaça... Esta cidade eu conheço muito bem”. No seguinte, a cidade retruca: “Babacão, canalha, bicha, mau-caráter, panaca, tarado!”. E o terceiro conclui: “... e ela a mim, é claro”. Angeli zoa até Angeli.

Revista Trip - Seu trabalho mudou a política de alguma maneira?
A política é um pouco mais poderosa, cara. É difícil a visão de um artista, de um crítico ou de um sociólogo mudar isso aí.


RT - E o humor, em geral, muda a política?
O humor muda as pessoas. A política, tenho dúvidas.



Política não é feita por pessoas?

Você chama aquilo de pessoas?!

Você anula o voto?
Já anulei, mas não é uma regra.



Como vai ser nesta eleição?

A seleção?!



A eleição.

[Ri] Realmente não entendo nada de futebol... Mas você perguntou o quê?



Em quem você vai votar na próxima eleição.
Ah, deixa só dizer uma coisa: sou lesado. Minha memória recente não existe. Tem horas em que fico pensando “do que estava falando?!”. Mas você perguntou da eleição...

Em quem vai votar para presidente?

Não sei ainda... O cenário é bom, não tem Maluf no meio, nenhum Sarney. Se bem que o Sarney sempre está em algum lugar...




O que Sarney e Maluf representam?

Sarney ganhou de bandeja o poder, carrega aquela merda toda da ditadura. O Maluf... sou paulistano, qualquer paulistano que pensa tem aversão a ele. É o primeiro dos mauricinhos, perfumado, com corrente de ouro. O movimento da boca dele... [faz uma careta]. Tenho problemas com a anatomia do Maluf.

Já encontrou com eles?

Quando fui homenageado com a ordem do mérito cultural, lá em Brasília, o [senador Eduardo] Suplicy me levou pra conhecer o Senado. De repente, entra na sala do Sarney. Fiquei incomodado. Aí ele levanta e fala, segurando minha mão: “Você é o melhor”. Pra mim foi uma derrota, saí de lá cabisbaixo. Sempre fui cruel nas charges com Sarney, mexi com a família toda, e não funcionou...

E o Maluf?
Também encontrei uma vez, no aniversário de 80 anos da Folha. Fui pego de surpresa, o máximo que consegui foi falar “já fiz muito charge do senhor”. E ele [imitando a voz do Maluf]: “Vai fazeeeendo, vai fazeeeendo!” [risos]. O perfume dele ficou na minha mão... Ele tem alguma distorção mental.




O que você acha da Dilma?

Uma candidata feita às pressas, tirada do nada. Não quer dizer que seja a pior candidata. Com o mensalão, o PT ficou sem quadros, né? A Dilma é uma incógnita, não dá pra saber o que ela é.



Serra?

Serra é o Serra de sempre, centralizador, egocêntrico. Capitaliza até projeto dos outros: “Eu criei tal coisa...”. Depois vem um cara que fala que não, e o Serra diz “mas fui eu que tirei do papel”. Aquele papo...



E a Marina?

Gosto do papo dela. Me incomoda um pouco essa coisa religiosa, mas até agora não vi ela misturar as coisas, como vários políticos fazem. Acho interessante o pensamento dela sobre o meio ambiente.




O pessoal te chama para esses encontros de candidatos com artistas?
Chama. Não vou. Não me interessa conhecer esses caras. Se o cara é meio legal, você acaba gostando dele. Não quero gostar...


Você é do contra?

[Ri] Hum, acho que sou, sim.



Existe humor a favor?

A publicidade faz, eu não consigo. Quando começou o PT, muitos cartunistas começaram a fazer humor a favor. O próprio Henfil [1944-1988] fez. Isso me incomoda. A função do cartunista é alfinetar, levantar discussão.

Para ver a reportagem completa na Revista Trip, clique aqui

E clique aqui para navegar no site de Angeli




clique na imagem para ampliar

Em Brasília, flagrantes de ...

... como NÃO montar um dossiê!

video

Acervo Pilórdia

Johil Camdeab - rápido no gatilho

Ontem postei esta imagem:


e hoje, Johil Camdeab devolveu-me esta:



Ou seja, é ou não é rápido no gatilho!


Para ver mais fotomontagens de Johil Camdeab, vá na seção Marcadores, e procure, como não podia deixar de ser, Johil Camdeab!

E, querendo saber mais sobre este fera das fotomontagens ou usando palavras dele, fotopiadas - clique aqui - e veja um especial sobre este baiano radicado em Manaus.

Hoje é dia de pescaria


canttim

Ela = Angelina Jolie

 e deus criou a mulher

Andando sobre a água ...

O novo esporte chama-se Liquid Mountaineering ou numa tradução livre, Alpinismo aquático.



Este é o site dos loucos praticantes desse novo esporte liquidmountaineering

Vejam o que diz alguns desses praticantes:

"Há um novo esporte criado por algumas pessoas, em que, basicamente, uma pessoa corre na superfície da água. Pode parecer absolutamente impossível, mas é verdade. O esporte é chamado de Liquid Montanhismo . Existem algumas indicações históricas que sugerem que este esporte foi criado pelos gregos , mas agora é recriado e é uma das atividades mais impossível olhar que alguém tenha visto.

O esporte tem tudo a correr sobre a água. A ciência nos diz que, com o ângulo certo e determinada  velocidade pode ricochetear na superfície da água por algum tempo antes que  afunde.

O exemplo perfeito é de uma pedra que, quando acionada , com a quantidade certa de velocidade, rotação e ângulo , ela começa a saltar na água e toque a superfície várias vezes antes de afundar . Se pudéssemos seguir o mesmo conjunto de regras que permitem quea pedra pule, nós podemos saltar também.

As coisas necessárias para o Alínismo Líquido, são: sapatos de borracha de boa qualidade usados - de preferência de inverno, um lago congelado , e um bom ponto de entrada para o lago.
 
Tudo que você tem a fazer é começar a correr para o banco do lago e continuar correndo com velocidade superior a pisada em cada etapa em tal ângulo que ao invés de bater na água com o pé inteiro de uma vez, o pé deve roçar a superfície de calcanhar para os dedos dos pés. O processo poderia ser aperfeiçoado apenas com a prática, mas é definitivamente possível fazer 3, 4 ou mais etapas na superfície antes de afundar ."

E este, na China,  é um mestre de Kung Fu que anda na água por mais de 15 metros sem apoio fixo abaixo da superfície.

Veja o vídeo:





Fonte inicial minha barra de espaco quebrou

Froidisplika



O mais próximo da perfeição que uma pessoa chega
 é quando ela escreve o seu currículo.


[autoria desconhecida]

Veio Rosa

As eleições vêm aí...

Luscar

Se vira nos 30!

Sai da mira!


por e-mail

Campanha contra o fumo!


Pense em quem voce ama!
Pare de Fumar!

Eu era feliz e já sabia!


por e-mail

Brasil-sil-sil !

Quando for a Recife, não deixe de ir 'a Barraca do Silvestre!

Touro invade arquibancada lotada na Espanha

Touro invade arquibancada e fere dezenas na Espanha



Pelo nosso correpondente "no exterior", Gilvan Quadros

Um touro pulou para a arquibancada e feriu ao menos 30 pessoas nesta quarta-feira (18) durante uma tourada em Navarra, no norte da Espanha.

Enntre os feridos estão 18 espectadores que pularam da arquibancada, mas a maior parte das vítimas teve apenas contusões. Um menino de dez anos foi hospitalizado, mas não corre risco, e um homem levou uma chifrada.

A TV estatal espanhola mostrou imagens impressionantes do incidente, no qual o touro pula para a arquibancada e ataca o público, que entra em pânico.

O touro foi finalmente dominado após 15 minutos por funcionários da arena, antes de ser sacrificado.


É, o título ia ser: Um dia da caça outro do caçador mas como o touro, segundo a reportagem, foi sacrificado...

A natureza 'as vezes exagera...

MDig

Xou de Imagem


Irmandade

Brasil-sil-sil !

Troféu Gambiarra

domingo, 29 de agosto de 2010

Poeminha do dia

"Vão pôr abaixo o Fonte Nova na Bahia
e no Pará demolirão a delegacia.
 
Uma consulta, sem maldade ou intenção vil:
– Será que dava pra demolir o Brasil?"

Extraído do Ensaio de Roberto Pompeu de Toledo,
na Revista Veja desta semana.
Isso foi postado em 3.12.2007
Veja aqui

Calculadoras - de volta ao passado


Em tempos em que a tecnologia diminui os aparelhos, uma empresa norte-americana propôs voltar ao passado e criar calculadoras com estilo vitoriano. São as chamadas "steampunk", e aliam design retrô à funcionalidade das calculadoras modernas.





Em seu site, o criador das peças, Andy Aaron, disse que tentou repensar e reconstruir as calculadoras utilizando peças e componentes antigos, fugindo da tendência moderna de que tudo o que é menor é melhor.

Elas têm a capacidade de cálculos simples de adição, subtração, multiplicação e divisão.





O preço mínimo é de U$ 5 mil, cerca de R$ 8,5 mil.

Terra


Ela "Special"

Margarita Carmen Cansino
Rita Hayworth, Estados Unidos

Imagem que faz pensar

Tirinha de ...



clique na imagem para ampliar

As eleições vêm aí...

http://www.ricostudio.com.br/

Que venha a nova Fonte!

Implosão do Estádio Otávio Mangabeira, em Salvador.


Pois a velha Fonte Nova de tantas alegrias e algumas tristezas também,  fica na lembrança, na saudade e no coração.

À Fonte Nova
Casa do meu Bahia
[Toinho de Vadú]



Vi em 71 a reinauguração e 
vi o meu Bahia tantas vezes campeão,
Vi ser Bi-brasileiro e
vi ser rebaixado 'a 2ª divisão.



Vi Roberto Rebouças e Altivo,
Vi Douglas, Baiaco e Fito,
Jésum, Picolé e Chiquitinha,
Na defesa, no meio de campo e na linha.


Vi Buttice e vi Ronaldo,
vi Zanata e vi Bobô,
Beijoca! Que centroavante!
Um grande goleador!



Vi Eliseu e vi Nonato,
Perivaldo e Sapatão,
Vi Marinho Apolônio e
vi também Cláudio Adão.



Vi Ueslei e vi Charles,
E o baixinho Robgol,
Eles eram todos os tres,
Atacante furador.


Gilson Gênio e Gilcimar,
irmãos no sangue e na bola.
Elizeu, Sanfilipo e Romero, 
todos eles fizeram escola.



Vi os que com raça e muita luz,
 Toninho Taino, Emo e Washington Luís,
enfiarem heróicos 5 x 0 no Santa Cruz,
e fazerem a nação tricolor muito feliz.


Vi Marcelo Ramos e Raudinei
num 07 de agosto de 94
me darem presente de rei,
pois era meu aniversário
e nunca que esquecerei.


E reconheço, também vi,
 jogar o grande Osni.
Ele, Mário Sérgio e André Catimba.
Exceções abertas a esses três,
 expoentes do nosso velho freguês.


Vi Zé Carlos e vi Zé Otto
e também Nelson Cazumbá.
Não esqueçamos Renato no gol,
o meia Léo Oliveira e o atacante Altimar.


Sima, João Marcelo e Leguelé,
Emerson, Jean e Picasso,
 Zé Augusto, Amorim e Natal.
Todos eles 'a sua época
transformaram as arquibancadas,
num verdadeiro carnaval.


Vi Dadá Maravilha
ser helicóptero e beija-flor,
e não contente com isso
ganhar o coração do torcedor.



Do lado de fora das 4 linhas
No túnel, no banco e na lateral,
vi o titio Fantoni e o Joel
ganhar aplausos da geral.



Dos Moreira, vi os dois
 o Zezé e o Aimoré.
Vi Osório e Maracajá,
desse ultimo nem quero lembrar.



Vi Evaristo de Macedo
ser aclamado ídolo tricolor,
ele elaborava o samba-enredo
de um time ganhador.




Na velha Fonte Nova
todos eles eu vi jogar.
Nos resta agora a boa memória
e a nova Fonte aguardar.





Imagens retiradas do site do ECBahia
Para ampliá-las, clique sobre a imagem.

Só espero que quando a nova Fonte estiver pronta não inventem mudar de nome. Espero que continue a ser Estádio Otávio Mangabeira!

Bola prá frente e BORA BAHÊÊÊA!